IMBAU FM
IMBAU/PR
Min. 52°F
Máx. 82°F
Mosquito ecoa o partido alto de Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho no primeiro single do segundo álbum
08/11/2018

Sambista revelado em 2015 com promissor álbum em que evocou os tempos iniciais de Zeca Pagodinho, Mosquito prova que continua tomando partido do melhor samba carioca ao dar a primeira amostra do segundo álbum. Três anos após emplacar o samba Ô sorte (Mosquito, Tinho Brito e Márcio Claro, 2015) na trilha sonora da novela Babilônia (TV Globo, 2015), Mosquito lança amanhã, 9 de novembro, single com inédito partido alto de lavra própria, Que mulher. Produzida pelo percussionista Pretinho da Serrinha, a gravação de Que mulher integra EP previsto para ser lançado em dezembro via Uns Produções. Já o segundo álbum deste cantor e compositor – nascido há 31 anos no bairro carioca da Ilha do Governador com o nome de Pedro Assad Medeiros Torres – sai somente em 2019. Mosquito lança o single 'Que mulher' com produção de Pretinho da Serrinha Divulgação / Fernando Young Vertente do samba cultivado nos morros e quintais da cidade do Rio de Janeiro (RJ), o partido alto será o ritmo dominante no segundo álbum deste partideiro influenciado por bambas referenciais como Arlindo Cruz. "Eu vivo o partido. É para onde a música me leva e é o que eu sou. Esse novo trabalho trará bastante rimas. O álbum Mosquito foi um disco que me apresentava. Nesse segundo álbum, eu começo a pontuar o lugar onde eu quero chegar na música. Tem muitas coisas que eu quero gravar, coisas novas e coisas antigas que ainda são novas para o mercado", conceitua Mosquito. Basta ler a letra do partido alto Que mulher, no qual Mosquito versa sobre o cotidiano de casal apaixonado, para detectar a benéfica influência da geração Fundo de Quintal dos anos 1980 – turma da qual Arlindo Cruz e Zeca Pagodinho são expoentes – no samba do jovem bamba. Que mulher (Mosquito) O bom dela é que ela gosta de cerveja, De boteco e de moela, De jiló, de beringela, Do império e da Portela, O que eu gosto nela É que ela pouco se importa se é asfalto ou se é favela. Se é cravo, se é canela. Se é presunto ou mortadela. Se eu tiver do lado dela fica bom pros dois Se a grana é cem, com cem se sai Se estiver sem, se sai depois Só tem acém, mas tem feijão e com arroz Tá tudo bem Sem perturbação, sem reclamação Só o lado bom. Que mulher! Basta um querer pro coro comer Quase toda hora ela quer E bom que ela é totalmente desprovida de frescura de donzela Se é corredor ou janela Se a louça é copo ou panela Me desmantela se desfila pela casa com vestido de flanela, Tá na hora da novela eu boto sebo na canela, Quando volto é luz de vela pra jantar a dois Se ela quer ir a gente vai Se ela dormir apago a luz Ela acordar na madrugada e seduzir eu faço jus Acende o vulcão Esquenta o colchão Aí fica bom, que mulher Basta um querer pro coro comer quase toda hora ela quer Editoria de Arte / G1
Fonte: G1
21:00 as 21:00
Publicidade
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
- IMBAU/PR
Ligue agora
(42) 3278-2207
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS